Chardonnay

Propriedades da casta
Nome Chardonnay
Tipo da casta Branca
Descrição
Ramo jovem ápice vegetativo semi-aberto, com pigmentação antociânica generalizada, de média intensidade e média densidade de pêlos aplicados.
Folha jovem amarela com placas bronzeadas e com média intensidade de pigmentação antociânica. Página inferior da 4.ª folha expandida com fraca pilosidade aplicada entre e sobre as nervuras, sendo a pilosidade erecta, forte entre as nervuras e fraca sobre as mesmas.
Flor hermafrodita. Primeira inflorescência inserida a partir do 3.º nó, com duas inflorescências por ramo e de médio comprimento.
Vigor médio.
Pâmpanos com estrias vermelhas na face dorsal dos nós e entre-nós e verdes na face ventral. Gomos com média pigmentação antociânica.
Gavinhas longas. Distribuição regular descontínua com fórmula 02.
Folha adulta média, pentagonal e geralmente com cinco lóbulos. Página superior verde claro, de perfil irregular e médio empolamento. Limbo ligeiramente enrugado com ondulação generalizada. Dentes curtos e rectilíneos. Seio peciolar fechado a sobreposto, com a base em V ou U, sendo por vezes limitado pela nervura junto do ponto peciolar. Seios laterais superiores fechados em U, e bastante pronunciados. Nervuras principais com média pigmentação antociânica. Página inferior com média pilosidade erecta e aplicada entre as nervuras e fraca pilosidade aplicada sobre as mesmas. Pecíolo mais curto que a nervura principal mediana e com fraca pilosidade aplicada.
Cacho médio e de média compacidade. Pedúnculo longo e de fraca lenhificação.
Bago pequeno a médio, uniforme, de forma arredondada e de secção transversal regular. Epiderme verde amarelada de cor uniforme e com média intensidade de pruína. Película de média espessura e hilo aparente. Polpa não corada, semi-rígida, semi-suculenta e de sabor indefinido. Pedicelo curto e de difícil separação.
Graínhas com forte dureza do tegumento.
Sarmentos elípticos a achatados, estriados a costados e de cor castanha avermelhada.

Sauvignon Blanc

Sauvignon Blanc

A casta “Sauvignon Blanc” produz vinhos de distinção na maioria das áreas onde é cultivado. Ela tolerara mais calor do que muitas outras variedades. Os “Sauvignon Blancs” são mais elevados em acidez e muitas vezes exibem “melão” no nariz e gosto. Se cultivada num clima ameno, ela pode desenvolver características herbáceas (“gramínea”), em seus aromas. “Sauvignon Blanc” produzem grandes culturas e é uma variedade de baixo custo.
Desenvolve-se bem no rio Loire e Bordeaux regiões de França. Porque ela pode obter um distinto e forte sabor a “smoky”devido a madeira carvalho em que pode são armazenados por vezes, não é muitas vezes envelhecido em madeira. Ele pode ganhar mais complexidade e riqueza com o tratamento. Nos USA muitas vezes é conhecido como Fume Blanc. Nova Zelândia está a ter sucesso notável com esta variedade e produz vinhos que têm níveis muito elevados de acidez.

”Sauvignon Blanc” é frequentemente misturada com pequenas quantidades de “Semillion”, a fim de retirar a acidez do vinho.
”Sauvignon Blanc” é especialmente útil quando servido com marisco.

Viosinho

Nome Viosinho
Tipo da casta Branca
Descrição A casta Viosinho é apenas cultivada nas regiões do Douro e de Trás-os-Montes, onde já é utilizada desde o século XIX. É uma casta de boa qualidade e indicada para a produção de vinho tranquilo e de vinho do Porto, todavia apresenta uma produção fraca e por isso é pouco cultivada. A Viosinho apresenta cachos e bagos pequenos de maturação precoce e bastante sensíveis à podridão. Esta casta desenvolve-se melhor em solos pouco secos. A casta produz vinhos bem estruturados, frescos e de aromas florais complexos. Normalmente são também alcoólicos e capazes de permanecer em garrafa durante alguns anos.
Ramo jovem Ápice vegetativo aberto, com pigmentação antociânica generalizada, de forte intensidade e muito fraca densidade de pêlos aplicados.
Folha jovem Acobreada e com forte pigmentação antociânica. Página inferior da 4.ª folha expandida com muito fraca pilosidade aplicada entre as nervuras, fraca sobre estas e não se verificando pilosidade erecta.
Flor Hermafrodita. Primeira inflorescência inserida no 3.º a 4.º nó, com uma a duas inflorescências por ramo e de médio comprimento.
Vigor Médio.
Pâmpanos Com estrias vermelhas na face dorsal dos entre-nós e nós e verdes na face ventral dos mesmos. Gomos sem pigmentação antociânica.
Gavinhas Médias. Distribuição regular descontínua, com fórmula 02.
Folha adulta Pequena, pentagonal e com três a cinco lóbulos. Página superior verde escuro, de perfil irregular e médio empolamento. Limbo ligeiramente enrugado com ondulação generalizada. Dentes médios, convexos e convexo-côncavos. Seio peciolar pouco aberto com a base em V. Seios laterais superiores abertos em V. Nervuras principais com forte pigmentação antociânica. Página inferior sem pilosidade aplicada e com média erecta entre as nervuras e fraca pilosidade aplicada e erecta sobre estas. Pecíolo mais curto que a nervura principal mediana e glabro.
Cacho Pequeno e medianamente compacto. Pedúnculo médio e de média lenhificação.
Bago Pequeno, uniforme, de forma elíptica curta e de secção transversal regular. Epiderme verde amarelada, de cor uniforme e com fraca intensidade de pruína. Película de média espessura e com hilo pouco aparente. Polpa não corada, mole, suculenta e de sabor indefinido. Pedicelo curto e de difícil separação.
Graínhas Com forte dureza do tegumento.
Sarmentos Elípticos, estriados e de cor castanha amarelada.

Gouveio

Propriedades da casta
Nome Gouveio
Tipo da casta Branca
Descrição A casta Gouveio é cultivada na região do Douro, onde é também conhecida por Verdelho, por isso é muitas vezes confundida com a casta Verdelho cultivada nos Açores e Madeira.É uma casta com bom amadurecimento e de boa produção. Apresenta cachos médios e compactos que produzem uvas pequenas de cor verde-amarelada.Os vinhos produzidos com Gouveio apresentam um excelente equilíbrio entre acidez e açúcar, caracterizando-se pela sua elevada graduação, boa estrutura e aromas intensos. Além disso, são vinhos que possuem excelentes condições para envelhecimento em garrafa.
Ramo jovem Ápice vegetativo aberto com média pigmentação antociânica na orla e fraca pilosidade aplicada.
Folha jovem Verde com placas bronzeadas e fraca pigmentação antociânica. Página inferior com média pilosidade aplicada entre as nervuras e fraca sobre as mesmas.
Flor Hermafrodita.
Vigor Médio.
Porte Erecto a meio-erecto.
Pâmpanos Verdes nas duas faces dos entre-nós e nós. Olhos com fraca pigmentação antociânica.
Gavinhas Distribuídas em dois ou menos nós sucessivos e médias.
Folha adulta Média, orbicular e trilobada. Página superior verde escura, com perfil irregular, médio empolamento, enrugada e ondulação generalizada. Dentes curtos e convexos. Seio peciolar aberto com a base em V, assim como os seios laterais superiores. Página inferior com fraca pilosidade aplicada e erecta entre as nervuras. Pecíolo mais curto que a nervura principal mediana e glabro.
Cacho Pequeno e compacto. Pedúnculo médio e com forte lenhificação.
Bago Médio, não uniforme, com forma de elíptica curta e secção transversal regular. Epiderme verde amarelada com média pruína. Película medianamente espessa, e hilo pouco aparente. Polpa não corada, mole, suculenta e de sabor especial. Pedicelo curto e de difícil separação.
Graínhas Com forte dureza do tegumento.
Sarmentos Achatados, estriados-costados, castanhos escuros e glabros.

Malvasia Fina

Propriedades da casta
Nome Malvasia Fina
Tipo da casta Branca
Descrição A Malvasina Fina é essencialmente plantada no interior do norte de Portugal, na região do Douro e na sub-região Távora-Varosa. Contudo, é também cultivada na zona de Portalegre (onde se denomina Arinto Galego), Dão (onde é conhecida por Assario Branco) e na Madeira (onde adquire o nome de Boal).
É uma casta que não tolera temperaturas muito altas, por isso é necessário estudar a época ideal para realizar a vindima de modo a evitar a deterioração dos bagos. É particularmente sensível à podridão e a algumas doenças e pragas da vinha, como oídio e o desavinho. A Malvasia Fina produz vinhos de acidez moderada e de aromas e sabores delicados e pouco complexos.
Esta casta é de produção regular e constituída por cachos e bagos de tamanho médio.
Ramo jovem Ápice vegetativo aberto, com pigmentação antociânica na orla, de média intensidade e média densidade de pêlos aplicados.
Folha jovem Amarela com placas bronzeadas e com média a forte pigmentação antociânica. Página inferior da 4.ª folha expandida com média pilosidade aplicada entre e sobre as nervuras, sendo a pilosidade erecta fraca entre as nervuras, e média a forte sobre estas.
Flor Hermafrodita. Primeira inflorescência inserida a partir do 3.º ao 4.º nó, apresentando duas inflorescências por ramo e de médio comprimento.
Vigor Médio.
Pâmpanos Verdes na face dorsal e ventral dos nós e entre-nós. Gomos sem pigmentação antociânica.
Gavinhas Médias. Distribuição regular descontínua, com fórmula 02.
Folha adulta Média, pentagonal e geralmente com cinco lóbulos. Página superior verde claro, de perfil irregular e de fraco empolamento. Limbo ligeiramente enrugado com ondulação generalizada. Dentes médios a curtos, rectilíneos e convexos. Seio peciolar fechado com a base em V. Seios laterais superiores fechados com a base em U e bastante pronunciados. Nervuras principais sem pigmentação na página superior e fraca na página inferior. Página inferior com média pilosidade aplicada entre as nervuras e fraca sobre estas, sendo média a pilosidade erecta entre e sobre as nervuras. Pecíolo mais curto que a nervura principal mediana e com fraca pilosidade aplicada.
Cacho Médio e frouxo. Pedúnculo médio a longo e de fraca lenhificação.
Bago Médio, não uniforme, de forma elíptica curta e de secção transversal regular. Epiderme verde amarelada, de cor uniforme e com média intensidade de pruína. Película fina e hilo aparente. Polpa não corada, mole, suculenta e de sabor indefinido. Pedicelo médio e de difícil separação.
Graínhas Com forte dureza do tegumento.
Sarmentos Achatados, costados e de cor castanha amarelada.

Rabigato

Propriedades da casta
Nome Rabigato / Rabo de Ovelha
Tipo da casta Branca
Descrição A casta Rabo de Ovelha é cultivada na região do Douro, especialmente na zona do Douro Superior. É plantada em pequenas quantidades na região dos Vinhos Verdes sob o nome de Rabigato e nas zonas vitícolas do sul do país (Estremadura, Ribatejo e Alentejo) onde é mais divulgada. A casta Rabo de Ovelha apresenta cachos médios e bagos pequenos de cor verde amarelada. É uma casta muito sensível ao oídio e ao míldio. O vinho elaborado a partir desta casta é mais utilizado para produzir vinhos de lote. As principais qualidades da casta Rado de Ovelha nos vinhos são o alto teor alcoólico, boa longevidade e elevada acidez. Os vinhos que incluem esta casta na sua composição apresentam aromas discretos, com notas florais, vegetais e até minerais.
Abrolhamnento Precoce.
Ramo jovem Forma aberta. Cor branca com ligeira orla carmim. Vilosidade tearânea.
Folha jovem Cor amarela acobreada com ligeira orla carmim. Vilosidade penugenta.
Flor Hermafrodita.
Vigor Médio.
Porte Horizontal a semi-prostrado.
Pâmpanos Cor verde. Vilosidade tearânea.
Gavinhas Distribuição regular descontínua. Comprimento médio.
Folha adulta Tamanho médio, forma pentagonal, quinquelobada. Cor da página superior verde claro com fraco empolamento e com perfil revoluto. Dentes longos, mais compridos do que largos e rectilíneos. Seio peciolar aberto com a base em forma de U. Seios peciolares superiores abertos com a base em forma de V. Pigmentação antociânica da página inferior muito fraca, página superior fraca. Vilosidade da página inferior cotanilhosa mas com as nervuras principais penugentas. Pecíolo de comprimento mais curto do que a nervura principal mediana. Vilosidade tearânea.
Cacho Tamanho grande e comprido. Compacidade média. Pedúnculo de comprimento curto e lenhificação média.
Bago Tamanho médio, forma arredondada. Cor verde amarelado a rosa, medianamente pruinado e espessura média da epiderme. Polpa não corada, mole e sumarenta. Pedicelo médio e de fácil separação.
Graínhas Aparece normalmente uma a duas por bago.
Sarmentos Secção circular, superfície estriada. Cor castanha amarelada. Vilosidade tearânea.

Moscatel Galego

Nome Galego
Tipo da casta Branca
Descrição Cepa de vigor médio e porte erecto. Sensível às doenças criptogâmicas e ao desavinho. Abrolhamento e maturação temporãs, produzindo mostos com elevado teor em açucar.

Sinonímia: ou «Olho de Lebre» na região de Setúbal e «False Pedro» na África do Sul.

Extremidade Ramo Jovem aberta-achatada, com forte densidade de pêlos prostrados e pigmentação antociânica média, na orla.
Folha jovem amarela acobreada. Página inferior da 4.ª folha expandida com forte densidade de pêlos prostrados.
Flor hermafrodita.
Pâmpanos entre-nós vermelhos na face dorsal e ligeiramente avermelhados na ventral. Nós vermelhos. Gomos com pigmentação antociânica média.
Gavinhas comprimento médio. Distribuição regular descontínua, com fórmula 02.
Folha adulta orbicular, média e quinquelobada, com os seios laterais bem definidos, em U. Verde escuro, com o pecíolo avermelhado; nervuras principais com pigmentação antociânica média na página superior e fraca na inferior. Limbo irregular e medianamente empolado. Dentes curtos, largos e convexos. Seio peciolar com lóbulos ligeiramente sobrepostos, em U. Página inferior com média densidade de pêlos prostrados.
Cacho médio e medianamente compacto. Pedúnculo longo.
Bago arredondado, médio e verde-amarelado. Película medianamente espessa e pruinada. Polpa mole e suculenta. Pedicelo de comprimento médio, com o bago bastante aderente.
Graínhas com tegumento duro.
Sarmentos elípticos, costado-estriados e castanhos amarelados.